APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 31 de maio de 2011

PADRES Hélio e Gilberto


I
Quem duvidar clique no link e veja
não é uma fofoca de comadres
Eu e Hélio Crisanto somos padres
da Igreja Católica Sertaneja
e na base do vinho e da cerveja
vamos comemorar o sacerdócio
queremos prosperar nesse negócio
com a bênção do Papa Luiz Berto
podemos garantir: o lucro é certo
e em sua divisão o bispo é sócio.

II

Dois Padres em Santa Cruz

A dupla sacerdotal
vai dar a maior novela
Hélio leva o castiçal
onde eu coloco a vela
vamos da maneira certa
ver se aumenta a oferta
fazendo um sermão esperto
Este padre milagreiro
vai ganhar muito dinheiro
e mandar pra Papa Berto.

É claro que sendo padre
neste inóspito lugar
eu preciso de uma madre
para me auxiliar
de alquém que se prontifique
e às finanças se dedique
com todo zelo e cuidado
pois meu alvo verdadeiro
além de ganhar dinheiro
é de chegar ao bispado.

LINK 2: http://www.luizberto.com/a-palavra-do-editor/nomeacoes-e-promocoes-na-igreja-sertaneja-2#comments

Comentário poético de Hélio:

Eu confesso fui pego de surpresa
Pra ser padre daqui com o Gilberto
Mas a ordem partiu do papa berto
E não pude negar a gentileza
Pra cumprir com desvelo essa proeza
Já comprei o tecido da batina
Nomeei secretária uma menina
Dois frangotes chamei pra coroinha
E eu mesmo celebro a ladainha
Como reza nos autos da doutrina


O GOL CONTRA DA ABL - Hélio Crisanto









O GOL CONTRA DA ABL

Sinceramente, às vezes chego a comparar o Brasil com um ringue de vale-tudo: Tiririca Deputado, bandidos soltos nas ruas, a fome pregando peças no teatro da injustiça, o desvirtuamento dos nossos valores, enfim, ingredientes que cada vez mais tornam o nosso pais mais pobre e inculto. Um fato no mínimo tétrico chamou-me a atenção esses dias, a ABL (Academia Brasileira de Letras), outorgou ao jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho a medalha Machado de Assis, pelos relevantes serviços prestados à pátria. Como pode uma academia condecorar um indivíduo que jamais leu um livro completo em toda sua vida? Onde ficam os literatos, os pensadores, os apreciadores de uma boa leitura? Causa-me estranheza o fato de um poeta do Quilate de Mário Quintana jamais ser mencionado nesta “casa”, contudo, não me causaria sobressaltos ao ver o presidente da CBF, o senhor Ricardo Teixeira, premiando um membro da ABL com um troféu de “bola de ouro” do campeonato brasileiro.

Hélio Crisanto


Video complementar:


ECO! LÓGICO - bilingue - (do Livro IMARGINÀRIO)




ECO! LÓGICO

Uma pérola,
Uma concha
Nas profundezas do mar
Viram atração de um colar.

Dois marfins,
Um elefante
Num deserto abrasador
Na mira do caçador.

Um couro,
Um jacaré,
Um tiro de lanterna no Pantanal,
Uma bolsa no bolso de um boçal.

Umas penas,
Um pavão
Numa fantasia de Tupi
Colorindo a Sapucaí.

Uma árvore,
Uma peroba
Numa cadeira esculpida
No meio da sala sem vida.

O homem,
Mil vaidades
Destruindo o natural
Pro seu belo artificial.

Autor: Marcos Cavalcanti


ECO! LÓGICO (em espanhol)

Una perla, / Una concha / En las profundidades del mar / Se volverán atracción de un collar. /

Dos marfiles, / Un elefante / En un desierto abrasador / En la mira del cazador. / Un cuero, / Un caimán, / Un tiro de linterna en el Pantanal, / Una bolsa en el bolso de un chaval. /

Unas plumas, / Un pavón / En una fantasía de Tupi / Coloreando la Sapucaí. /

Un árbol, / Una peroba / En una silla esculpida / En medio de la sala sin vida. /

El hombre, / Mil vanidades / Destruyendo el natural / Para su hermoso artificial.

Autor: Marcos Cavalcanti

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Visita ao Violeiro e Repentista Chagas Rodrigues



Hélio Crisanto, de improviso, cantou Conselho ao Filho Adulto ao som da viola dedilhada por Chagas Rodrigues, ótimo cantador e violeiro. Registrei o momento no link acima.


QUEM SOU

Na cadeia sou polícia
no mato sou caçador
na briga sou um herói
na água sou pescador
no hospital enfermeiro
na tribuna sou doutor.

no mar sou navegador
na batalha sou guerreiro
na loja sou vendedor
no carro sou carreteiro
na farmácia um farmacêutico
na banca sou verdureiro.

na navalha sou barbeiro
no teatro sou artista
na câmara sou presidente
no circo sou trapezista
na roça sou preguiçoso
no pinho sou repentista.

no pandeiro sou coquista
na arte sou curioso
na bodega balconista
na prova sou mentiroso
na teoria sou fraco
na prática sou vantajoso.

no beijo sou carinhoso
no amor eu sou ladrão
no campo sou um atleta
no jogo sou campeão
no sitio sou morador
na fazenda sou patrão.

[...]

No cantar sou aplaudido
No choro sou consolado
na culpa peço perdão
no erro sou perdoado
na maldade sou pequeno
no bem eu sou abraçado

[...]

Autor: Chagas Rodrigues

domingo, 29 de maio de 2011

AS QUATRO VELAS - Em Prosa e Verso

Hélio me enviou um video muito bacana de um poema intitulado AS QUATRO VELAS, que você confere abaixo.



Resolvi pesquisar para constatar uma prática muito comum entre poetas, principalmente da área do cordel, que é o lançar mão de um texto alheio, geralmente em prosa (piada, crônica, romance...) e, conformando-o às regras da métrica e da rima, transformá-lo num texto seu, poético. Nesta pesquisa, encontrei um texto com conteúdo similar, em prosa. Confira-o em


Nada tenho contra a prática. Acho que alguns textos, nessa nova roupagem, ganham vida extra. Todavia, lembrando-me de uma sugestão dada por Teixeirinha, a de vez por outra postarmos um tema para debate, pergunto-lhe:

Você considera isso plágio ou diálogo intertextual?
Uma vez que a essência, o cerne do texto, pertence a quem primeiro o escreveu, tendo apenas sido "embelezado" e transportado para outro gênero por um segundo, constituiria isso roubo literário?
Não estaria o autor da obra derivada, ao omitir sua fonte inspiradora, induzindo o leitor a tecer por ele uma admiração da qual não é digno?
Deveria quem primeiro teve a ideia ser citado como coautor? Não caberia um "baseado em..."?

Bem, se o debate não for de seu interesse, apenas aprecie o conteúdo do video e veja se é digno do significativo número de acessos que teve.

CONVERSA ENTRE O FUMO E O ÁLCOOL - Marcelo Pinheiro



CONVERSA ENTRE O FUMO E O ÁLCOOL

O álcool e o cigarro sempre foram bons amigos. Sempre conversavam pelos palácios, praças, bares, cabarés... Numa noite de lua cheia, na Praça da Ilusão tiveram a seguinte conversa:

FUMO: Boa noite, senhor álcool, como vai?

ÁLCOOL: Bem, obrigado! E você?

FUMO: Excelente! Como estão os índices de mortandade disseminados por Vossa Excelência?

ÁLCOOL: Que é isso, rapaz? Nunca matei ninguém! Você, sim, vive matando gente. Faz-se de santo, mas é um dos piores assassinos com quem já cruzei. Outro dia, li num jornal coisas sobre você que me deixaram horrorizado. Apesar de se apresentar assim, sempre bem vestido, e de investir pesado em companhas publicitárias com o intuito de escamotear a verdade sobre si, carrega consigo mais de 4.700 substâncias tóxicas, sendo 43 delas cancerígenas. E aí, o que me diz sobre isso?

FUMO: Alto lá, camarada! Nunca obriguei ninguém a me consumir. Por onde passo, digo quem eu sou. Vai me dizer que nunca viu minhas advertências?! Agora você é covarde! Frequenta as melhores festas. Veste-se de belas garrafas multicoloridas, se perfuma todo, adota belos e diferentes nomes em cada país por onde passa. Na França, chama-se vinho; na Alemanha, cerveja; na Escócia, Whisky; na Rússia, Vodca; no México, Tequila; no Brasil, cachaça etc. Se não tem nada a esconder, por que muda tanto de nome? Eu te conheço, rapaz!

ÁLCOOL: Nunca enganei a ninguém, amigo! Eu sou a vítima. As pessoas abusam de mim e depois reclamam: “a culpa é álcool!”. Que nada. Se me respeitassem... Mas..., covarde é você! Usa a nicotina para dar um pouco prazer e em troca rouba a liberdade das pessoas, tornando-as dependentes. Só depois de algum tempo é que mostra suas verdadeiras intenções.

FUMO: Veja só quem fala! Você excita as pessoas, dando-lhes uma sensação de bem-estar, de euforia, de felicidade..., mas nem precisa esperar muito e já as humilha, fazendo-as perder a decência e a compostura. E o que é mais ignóbil: elas ainda se sentem o máximo sendo humilhadas! Parece se divertir com isso, não?!

ÁLCOOL: Tudo bem, admito que dou boas gargalhadas em troca do que ofereço. Todavia, no dia seguinte não perturbo mais ninguém. Você, ao contrário, é mais discreto, porém mortal. Mata aos poucos, lentamente, como se estivesse tragando as pobres vítimas.

FUMO: Perto do que você faz isso se chama bondade. Ao menos garanto alguns anos de vida aos meus seguidores. Nunca embriaguei jovens para em seguida mata-los no trânsito; nunca tirei a razão de pobres trabalhadores, tornando-os homicidas sem saberem o motivo; nunca fiz pessoas saudáveis se tornarem dependentes e improdutivas; nunca transformei homem em mendigo..., respeito a dignidade das pessoas.

ÁLCOOL: Mas subtrair a liberdade das pessoas não é tirar-lhes antes a dignidade? Ademais, os hospitais estão cheios de doentes que lhe culpam por isso. Você é o responsável por 30% das mortes por câncer, 90% nos casos de câncer de pulmão. Isso diz tudo sobre você.

Os dois ficaram em longo e profundo silêncio, talvez envergonhados...

Autor: Marcelo Pinheiro

sábado, 28 de maio de 2011

ENTRE SISTEMAS - Teixeirinha Alves


ENTRE SISTEMAS

Adolescente, eu era socialista. Achava que o Socialismo era o melhor dos mundos. Mas descobri que a igualdade preconizada por este sistema é ilusória, inatingível e absurda (ninguém pode ser forçado a ser como os outros!). Não esquecendo que o Socialismo Real (Cuba, URSS, China,...) foi um fracasso, um atraso para as populações dos países que o adotaram, com “minusculinhas” exceções.

Comecei a ver no Capitalismo o nosso maior acerto histórico. Neste se valoriza a iniciativa, a individualidade, o “homem que se faz por si mesmo”. Embora ocorram padronizações/imposições, especialmente na área do consumo. Entretanto sempre se pode escolher entre uma mercadoria e outra (ou nenhuma).

Todavia “capitalista” não é um rótulo adequado para mim, pois sou daqueles que consomem pouco, não só devido às limitações financeiras, mas porque utilizo os produtos que compro até o fim, até a “última gota”, e não me encanto com o belo mundo das propagandas.

Por tudo isso, entre ser socialista ou capitalista, prefiro ser eu mesmo.

Teixeirinha

p.s.: Conheço muito “socialista” que se “lambuza” nas benesses do Capital, num corriqueiro exercício de hipocrisia.

Poesia em Video de Marcos Cavalcanti

O excelente poeta santacruzense Marcos Cavalcanti teve a brilhante ideia de colocar alguns de seus textos em video, belamente ilustrados e lidos. Parabéns, Marcos!

Eis, abaixo, a introdução e o poema inicial do livro Viagens ao Além-Túmulo, com ilustrações e voz do próprio autor.




sexta-feira, 27 de maio de 2011

VISÃO - Ivanilson Costa




VISÃO


Entre árvores jardineiras a vi,

Tão linda que nem o artista

Mais inspirado conseguiria

Pintar igual, sua tez tão

Branca quanto o raio solar

Quando toca a areia da praia.


Jamais explicarei o que aconteceu

Comigo, mas naquele instante

Minha alma deleitava-se num

Gozo intenso, permaneci

Paralisado, perante aquela obra

De arte que exalava perfume

De rosas silvestres.


Que beleza exercia! Que

Vivacidade! Tive a impressão

De vê-la sorrir, mas

Não era um sorriso, era

Um adeus, eu tinha visto um anjo.


Daqui para 10 de junho, diz o professor Ivanilson, será publicado seu livro que tem por título "Novas tecnologias: desafios e perspectivas na Educação". Ele é detentor do domínio http://www.ivanilson.com/

Santa Cruz, Santa Rita e o Santuário

Adquira o novo trabalho do cordelista Adriano Bezerra:


Eis algumas estrofes para sua apreciação:


SANTA CRUZ

Santa Rita Padroeira

Oh madrinha dos sertões

Ilumine a minha mente

Pra que as inspirações

Me permitam relatar

Um pouco desse lugar

Que encanta as multidões.


Fiéis chegam sem cessar

A essa terra bendita

E se encantam quando vêem

Essa obra tão bonita

O nosso cartão postal,

Refúgio espiritual...

O Alto de Santa Rita.


Vem gente dos arredores

De todo o nosso país

E até do Exterior

Seguindo o que a fé lhe diz

Demonstrando devoção

De alma e de coração

Alegre e muito feliz.


E para toda essa gente

Eu quero um pouco falar

Sobre como foi fundado

Esse bendito lugar

De fé, esperança e luz

Nossa terra Santa Cruz

Como pôde aqui chegar...


[...]


SANTA RITA

Agora passo a contar

Um pouco da bela história

De Santa Rita de Cássia

Que na sua trajetória

Muitas dores recebeu

Mas na fé permaneceu;

E essa fé lhe deu a Glória.


No ano mil e trezentos

e oitenta e um nasceu

Na Itália o seu país

Onde lá também cresceu

Numa cidade pequena

Chamada Roccaporena

E ali muito aprendeu.


O seu pai Antônio Lotti

Homem simples, bom cristão

E a mãe Amata Ferri

Mulher de bom coração

Tiveram muitos sinais

E visões Celestiais

Sobre a sua vocação.


Desde a sua juventude

Rita sentia vontade

De seguir servindo a Deus

Nas obras da Divindade

Dedicando a sua vida

Salvando alma perdida

Com amor e lealdade...


[...]


O SANTUÁRIO

Chegamos ao Santuário

Nessa obra tão Divina

Erguida com competência,

Em uma estrutura fina

Que a faz ser hoje eleita

A maior estátua feita

Da América Latina.


E entre as religiosas

Não existe outra igual

Pra medir a sua altura

No espaço mundial

Convido você a ver

Pra de perto perceber

O quanto é fenomenal.


E para você saber

Qual a sua dimensão

Tem cinquenta e seis metros

Da coroa até o chão

Desse número total

Os seis são do pedestal

Que sustenta a construção.


A coroa ou resplendor

Como prefira chamar

Tem oito metros e pesa

Você pode acreditar

Acima de sete mil

Fabricada no Brasil

Abençoado lugar...

Lajes Pintadas - Maria Rosilene



Lajes Pintadas


De um riacho viestes

Com desenhos bem rupestres

Tem tanta gente que diz

Sou feliz nesta cidade

Que tem como padroeiro

São Francisco de Assis.


Temos também artesãos

Que utilizam o sisal

E Também pedra sabão

Esses talentos formaram

Uma bela associação

Onde criam e espalham arte

No Brasil e na região.


Lajes Pintadas é sinônimo

De luta, esperança e glória

Cultura e arte da terra

Faz parte da nossa História.


Dados de Maria Rosilene, por Hélio Crisanto:

Maria Rosilene de Almeida Oliveira, nasceu no dia 27 de Maio de 1983, na cidade de Santa cruz, RN.mas reside em Lajes Pintadas, Filha do casal Odorico Cosme de Almeida e Rosa André de Almeida, cursou o ensino fundamental e médio e recentemente recebeu o grau de licenciada em Geografia. A mesma afirma que a poesia começou fluir em sua vida desde os 14 anos de idade.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

LIVROS DIGITAIS (?)


LIVROS DIGITAIS (?)

Há pouco tempo, neste espaço, teci loas ao mundo digital que nos cerca. Continuo a pensar da mesma forma. Porém em um ponto específico “dou a mão à palmatória”: a leitura de livros. Inovação informática nenhuma substitui o prazer de folhear uma obra impressa, com sua textura, aspecto visual e cheiro. Parece que até mesmo o nível de compreensão melhora quando se lê um livro “analógico” (em comparação com um feito de bits).

Já li duas obras digitais. No entanto, quanto tempo passei! quanto cansaço! quanto desconforto visual, “postural” e mental! Há seis/sete meses, arrisquei-me a ler uma terceira (de 329 págs.), mas, pasmem!, ainda não cheguei à metade. Concomitantemente li, na íntegra, alguns livros impressos. São dois “universos” bem distintos.

Essa também é a opinião de muitos amigos; o que me leva a crer na inviabilidade mercadológica do propalado e-book (o livro digital).

Por tudo isso, apesar de não gostar de juntar coisas, sempre tenho espaço em casa para esse maravilhoso objeto com capa e contracapa. Afinal toda regra tem exceção.

Teixeirinha Alves

Roberto Rosa, Poeta e Escoteiro


Roberto Rosa, conhecido como Roberto dos Escoteiros, também busca guiar os jovens pelas sendas da poesia.
Na Casa da Cultura de Santa Cruz há um painel com belas fotos; em todas elas vê-se pequenos poemas (geralmente sextilhas) de sua autoria. As imagens retratam diversos aspectos da paisagem nordestina. Vão da exuberância à escassez. Grande parte delas foi tirada por ele durante as andanças em que dava lições de escotismo.
Os versos, alguns antropomórficos, nos dão uma ideia positiva de sua sensibilidade poética. Disse-nos que pretende lançar um livro com tais paisagens e poemas.
Na imagem abaixo, lemos:

"Viva o verde e viva a vida
Viva Deus viva a nação
Ilumine o pensamento
de cada um dos irmãos
que ver na mãe natureza
fonte de inspiração."





















Para ver mais belas fotos e poemas, vá à Casa da Cultura e visite o espaço destinado aos escoteiros.



"Escrever é muito fácil
difícil é interpretar
ler com bastante vontade
para poder decifrar
e depois de tudo lido
você no mínimo se gostar."

- Roberto Rosa

quarta-feira, 25 de maio de 2011

VAQUEIRO: O HEROI DO SERTÃO


VAQUEIRO: O HEROI DO SERTÃO

Zé Neto


O gado muge nas capoeiras do sertão.

O vaqueiro sela seu cavalo baio,

E corta o céu como um raio.

Vestindo perneira, peitoral e gibão


Peleja o vaqueiro dentro do juremal.

Atrás de boi mandingueiro

Rolando na sela o vaqueiro

Laçando e atalhando o animal.


O vaqueiro é o herói do sertão

Com seu aboio altaneiro

O linguajar brejeiro

E o olhar triste e os calos na mão.


Um vaqueiro quando morre

Vira estrela la no céu

Toda bezerrama se comove

Urrando cedo quando nasce o sol.


O vaqueiro quando chega no céu

Vestindo a sua mortalha,

São Pedro pergunta pelo gibão

A perneira e o peitoral.

Traz logo um cavalo alado,

Selado e lhe dá um chapéu

E manda o vaqueiro aboiar o gado

Que anda solto nas capoeiras do céu.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Poesia para Amanda Gurgel - Gilberto C. Santos


1
A voz de Amanda se ergueu
parando o Brasil inteiro
todo o povo brasileiro
ouviu e se comoveu
Quando ela apareceu
no Programa do Faustão
falou com convicção
e a audiência aumentou
até Faustão se calou
e ouviu com toda atenção.
2
Quando esteve na Assembleia
do Rio Grande do Norte
com o seu sotaque forte
silenciou a plateia
ninguém ali tinha ideia
do que iria se dar
o video iria alcançar
mais de um milhão de acessos
falando dos retrocessos
na educação potiguar.
3
Todos demos primazia
À voz de Amanda Gurgel
como a uma voz do céu
que o indizível dizia.
Em prosa ou em poesia
jamais vi tanta clareza
ela expressou com certeza
a nossa dor mais profunda
e o fez de forma fecunda
com maestria e beleza.
4
Quando Amanda foi à frente
parlamentares sisudos
quais pedras ficaram mudos
ante o discurso eloquente
A plateia consciente
da verdade absoluta
achou que a melhor conduta
ante aquela mulher brava
era deixar que a palavra
vencesse qualquer disputa.
5
Porém o discurso dela
não limitou-se ao estado
e todo o professorado
se viu espelhado nela.
Deus pôs uma mulher bela
para nos representar
e eu resolvi me calar
prostrei-me com reverência
e deixei na consciência
a sua voz ecoar.
6
Quando a professora Amanda
subiu àquela tribuna
preencheu uma lacuna
vasta, profunda, nefanda
a sua voz forte e branda
tornou nossa dor palpável
de modo admirável
feriu tímpanos de surdos
desnudando absurdos
num discurso inimitável.


7

Amanda, eu emudeci
porém o fiz de bom grado
pois fui bem representado
no discurso que ouvi
nos versos que escrevi
jamais dei tanta expressão
à triste situação
que vivemos todos nós
Você se fez nossa voz
A voz da Educação!