APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quinta-feira, 29 de maio de 2014

Tudo isso a gente escuta Passando pelo sertão - Hélio Crisanto


Um soldado barrigudo
Tocando numa corneta
O ronco de uma lambreta
De um matuto carrancudo
Choro de guri pançudo
Se assustando com o trovão
Histórias de lampião
Canto de rola cafuta
Tudo isso a gente escuta
Passando pelo sertão

terça-feira, 27 de maio de 2014

Projeto Palco Giratório em SANTA CRUZ - RN! (peça "UMA FLOR DE DAMA")


A Prefeitura de Santa Cruz e o SESC/SENAC-RN, através da Secretaria Municipal de Cultura,  apresentará ao público santacruzense,  o Projeto Palco Giratório  que será realizado nos dias ( 31 de maio e 1º de junho) sendo que no  dia 31 de maio, a equipe cearense que irá apresentar a peça, fará uma capacitação de produção cultural com os atores e atrizes locais. Já no dia 1º de junho será a vez do  Espetáculo cênico “Uma Flor de Dama”,  o evento acontecerá no Teatro Municipal Candinha Bezerra e terá a entrada gratuita.
A peça "UMA FLOR DE DAMA" será encenada no 1º de junho as 19:00 horas.
Uma noite na vida de um travesti. Esse é o mote de Uma Flor de Dama (CE), último espetáculo da 1ª etapa do Palco Giratório 2014 no Rio Grande do Norte. As apresentações serão promovidas pelo Sistema Fecomércio RN, por meio do Sesc, nas cidades de Natal (30/05, na Casa da Ribeira) e Santa Cruz (01/06, no Teatro Candinha Bezerra).
Com classificação indicativa de 18 anos, o espetáculo cearense Uma Flor de Dama, encenado pelo grupo As Travestidas, mostra o momento em que a personagem travesti entra no camarim e se prepara para fazer um show até ir às ruas prostituir-se. No fim da noite, sentada no bar tomando a última e quente cerveja, fala sobre sua vida, suas escolhas, seus amores, seu ódio. O público acompanha a vida dessa personagem fictícia acrescida de fatos reais a partir de uma pesquisa de campo do ator. questões como HIV, política, preconceito, e, especialmente, as escolhas que a vida nos oferece (ou das quais nos priva) vêm à tona.





MARIACHI REAL DA AMÉRICA no Teatro Candinha Bezerra

DATA: 30 de maio 
LOCAL: Teatro Candinha Bezerra
HORÁRIO: 19 H
ENTRADA: Franca

APOIO: Fundação José Augusto,  Prefeitura de Santa Cruz e  Secretaria de Cultura
,


Originário de Puerto Vallarta, Jalisco, o Mariachi Real da América formado com a clara convicção em compartilhar de corpo e alma sua grande paixão; a música vernácula de nossa terra.
Sua grande experiência com artistas de níveis como de Lucero, Rocío Banquells, Lorenzo de Montecarlo. Raúl Vale, Patricia Navidad e recentemente com a Banda Sinfônica do Estado de Campeche e com a cantora Claudia Sierra entre outros que garantem sua alta qualidade musical.  Já participaram nos mais importantes festivais de música mexicana do país, assim como em várias ocasiões do Encontro Internacional do Mariachi, em Jalisco.
A união do grupo tem 20 anos de experiência e conta duas produções discográficas. O grupo encontra-se formado por 12 integrantes: 7 violinos, 2 trompetes, guitarra, violão e a tradicional vihuela.


Saiba mais:





domingo, 25 de maio de 2014

O DIREITO DO HOMEM E DA MULHER. - Luiz Soares de Medeiros


Quando Deus criou o homem,
criou a mulher
para viver a seu lado.
O homem e a mulher são dois viventes sagrado
se não fosse a mulher e o homem
o mundo não seria povoado.

Deus formou o homem do limo da terra,
a mulher de uma costela.
A mulher depende do homem
e o homem depende dela,
portanto só prestam juntos,
como o texto e panela.

Deus disse ao homem e a mulher,
domina todos os viventes na terra,
domina os peixes do mar,
tudo quanto e existe na terra
vocês podem dominar, mas se me desobedecer
eu posso castigar.

Me sinto muito feliz em ser homem
mas dou valor a mulher,
a mulher depende do homem
e o homem depende da mulher,
portanto só prestam misturados
como o açúcar com o café.

A mulher tem um poder soberano,
merece uma coroa.
Uma casa sem mulher
é como um barco sem proa,
é como um rei destronado
nesse mundo vagando a toa.

A mulher seja mãe,
mulher ou filha
é como uma flor da roseira
que entre os espinhos ela brilha.
Uma mulher numa casa
Já é uma maravilha.

A mulher pode ser médica,
pode ser uma professora,
pode ser deputada,
prefeita ou vereadora.
Também pode governar e também ser senadora.
Portanto a mulher é muito merecedora.

Portanto caros ouvintes
por aqui vou terminar.
O valor da mulher e do homem,
eu acho que seja igual
Deus deixou o masculino e o feminino
pra se formar um casal.



(Luiz Soares de Medeiros)

sábado, 24 de maio de 2014

Uma noite imperdível que se tornou inesquecível... - Camilo Henrique


Santa Cruz vivenciou na noite de ontem, 23 de maio de 2014, uma das mais belas noites que o Teatro Candinha Bezerra já teve. A SESI Big Band, sob a regência do "conductor" Eugénio Graça, nos presenteou com um belíssimo e encantador espetáculo musical, uma verdadeira viagem pelo jazz e blues, através da música instrumental e vocal de excelente qualidade, músicas até então nunca apresentadas em palcos santacruzenses, consequência do consumo demasiado de "ossos" (quem esteve lá entenderá a figura de linguagem) impostos pela mídia e pelos principais meios de comunicação. A participação especial da cantora Taryn Szpilmam foi um show dentro do show, com interpretações belíssimas, com técnica impecável, nos apresentou grandes clássicos do jazz e do blues, sucessos de grandes nomes da música mundial como Stevie Wonder e Ray Charles. O público participou ativamente do show, com intervenções estimuladas pelo maestro Eugénio, que desde o início da apresentação contagiou a plateia com seu jeito irreverente e descontraído de reger a orquestra. Recebemos caravanas das cidades de Cruzeta, com duas vans e de Currais Novos com uma. Uma coisa que nos surpreendeu foi um grande número de jovens na plateia, isso só mostra que quando se oferece música de qualidade se há público, e principalmente, um público que sai satisfeito com o que viu e ouviu. Registramos também a presença de diversos ícones da cultura Santacruzense: Hélico Crisanto, Marcos Cavalcante, Gilberto Cardoso, Estevam Fernandes, Deusdeth Araújo, bem como também músicos e maestros de outras cidades: Maestro Pereira, da cidade Currais Novos, Maestro Márcio Dantas, de Carnaúba dos Dantas e o maestro Humberto Dantas (Bembém), que foi quem nos colocou em contato com o SESI através do maestro Eugénio Graça. Em fim, agradecemos a todos que se fizeram presentes ontem à noite no teatro, à FIERN, ao SESI, ao maestro e amigo Eugénio Graça, à Prefeitura Municipal, ao secretário Edgar Santos, ao IFRN, à professora Samira Delgado, à Associação Musical de Santa Cruz (ASSOMUSC), ao maestro e primo Humberto Dantas (Bembém), à Sra. Edina e à senhorita Ana Beatriz, as duas do SESI Artes. Uma frase pode resumir a noite de ontem... FOI MASSA!





sexta-feira, 23 de maio de 2014

OITO PÉS A QUADRÃO - Hélio Crisanto e Zéferreira

             Zé Ferreira e Hélio Crisanto

HC

Chegando segunda feira
Eu não fico de bobeira
Vou convidar Zéferreira
Pra gente tocar baião
Vou levando na sacola
O repente e a viola
Poeta bom não se enrola
Nos oito pés a quadrão

Zéferreira

Amigo velho Crisanto
Refeito “daquele espanto”
Pergunto onde é o canto
Dessa próxima diversão
Caso Deus não me evite
Já tá aceito o convite
Pois abriu meu apetite
Nos oito pés a quadrão

HC

Vamos semear cultura
Com muita raça e bravura
Mostrando a literatura
Dos menestréis do sertão
Quem quiser pegue a bandeira
Venha engrossar a fileira
Bote lenha na fogueira
Nos oito pés a quadrão

Zéferreira

A cultura é o que interessa
A bandeira sendo essa
A viagem a gente apressa
Já tô com o mastro na mão.
Se for preciso me inscrevo
E ainda mais me atrevo
Dar o devido relevo
Nos oito pés a quadrão.

HC

Vamos fazer um sarau
Chame Jarcone Vital
Esse vate genial
Pra fechar a seleção
Chame Gilberto Cardoso
Outro poeta brioso
Que também é talentoso
Nos oito pés a quadrão

Zéferreira

Colega, se não me engano
Esquecemos de Adriano
Um poeta veterano
Nessa nossa escalação
Arrochado feito um traque
Na defesa ou no ataque
Dizem que ele é um craque
Nos oito pés a quadrão.

HC

Pra completar o plantel
Chame Débora Raquiel
Outra grande menestrel
Seguindo a nossa missão
Tiago e André Soares
Entoando os seus cantares
Soltando versos nos ares
Nos oito pés a quadrão

Zéferreira

Amigo velho dileto
Já que o plantel tá completo
Vamos fazer um projeto
Que norteie a nossa ação
Formatar nosso fazer
Para um melhor proceder
E botar para derreter
Nos oito pés a quadrão

Pesquisador Social Apresentou Exposição Fotográfica Remanescentes do Cangaço de Jesuíno Brilhante no Encerramento da 12ª Semana de Museus



 No encerramento da 12ª Semana de Museus que aconteceu no último sábado (17/05) no  sítio Escondido, zona rural de Patu, o médico psiquiatra e pesquisador social Epitácio Andrade Filho apresentou aos presentes uma exposição fotográfica remanescentes do cangaço de Jesuíno Brilhante (1871 a 1879). O tema da 12ª Semana de Museus foi: Museus: As Coleções criam Conexões. A exposição fotográfica apresentou as seguintes imagens do período pós-cangaço.


 Primeira geração do período Pós-cangaço da família Limão. Luis Limão, pai de Zé Limão e irmãos.
 Juliano Moreira. Primeiro psiquiatra negro do Brasil. Ele resgatou o crânio do cangaceiro Jesuino Brilhante.
 Santuário do Lima. O radiocomunicador Stanislaw Izídio de Lima defende que a famíia Lima foi originada da família Limão que teve de mudar para Lima para não ser perseguidos pela família do cangaceiro Jesuíno Brilhante
 Luis Limão pai de Zé Limão descendente da familia Limão. Luis Limão está sepultado em um mausoléu no cemitério público da cidade de Almino Afonso-RN
 Patriarca da Família Limão. Senhor José Rodrigues de Barros
 José Rodrigues de Barros e filhos
 José Rodrigues de Barros e o Neto João Franscisco. Ainda vivo residente no sítio São Fancisco na zona rural de Catolé do Rocha-PB
 Foto de Patu onde hoje fica localizado o monumento em homenagem ao Coração de Jesus. Defronte as casas está o antigo monumento de um Cruzeiro. Talvez essa seja a foto mais antiga de Patu publicada pelo jornal A República.  

 Zé Limão e Filhos no sítio Saco dos Limões.

 José Firmo Limão residente no sítio São Francisco zona rural de Catolé do Rocha-PB
 Epitácio Andrade entrevistando o senhor José Firmo Limão aos 99 anos de idade na sua residência, sítio São Francisco. Poucos dias depois desta entrevista o senhor José Firmo Limão veio a falecer.
 Senhor Pelado Limão tio de Zé Limão


quinta-feira, 22 de maio de 2014

REPERCUSSÃO DO AUTO DE SANTA RITA, VERSÃO 2014

Fiquei extremamente satisfeito com o resultado do Auto de Santa Rita em sua versão 2014. Débora Raquiel, Beto, Camilo Henrique, equipe da prefeitura e demais envolvidos no processo podem comemorar o êxito de seus esforços. Nas duas noites do auto, fiquei prestando atenção à reação do público. Todos se mostravam envolvidos pela trama. Parabéns para os atores e dançarinos!  
Agradeço aos que me ligaram, como Cristiane, professora do IFRN, e demais que me abordaram (Marcos Cavalcanti e Dona Cleudia, por exemplo) para tecer comentários positivos sobre os vários aspectos da peça.

Wallace Maxsuel escreveu em seu BLOGf: "Sucesso de público, o espetáculo foi avaliado como positivo em seu novo formato.
"Destaque para a adolescente que representou Santa Rita quando jovem. Trouxe o toque certo de gentileza e ingenuidade para as cenas. Representou com perfeição, mesmo não tendo a carga de experiência necessária para uma protagonista. Deu conta do recado. A escolha da atriz Eluanda Rodrigues para a Santa Rita na idade adulta e na viuvez também foi algo importante, pela experiência que a mesma teve em participar dos últimos anos do espetáculo, quando já representou a mãe da Santa italiana, Amata. 
No entanto, o espetáculo teve o fator muito forte para seu “enraizamento social”, quando trouxe jovens ligados a vários serviços da Assistência Social e Educação, tornando mais forte o sentimento de comunidade, sentimento este muito forte e presente na Tradicional Festa de Santa Rita. Pelas minhas conversas particulares com os espectadores, público presente no evento, a reformulação foi apreciada com muita satisfação.
Em aspectos gerais foi um Auto inovador, diferenciado e com toques sutis de simpatia ao público.

Édipo Natan, locutor e blogueiro, postou em seu Facebook: 

"Olá amigos, passando aqui para parabenizar toda equipe de produção, elenco e apoio do espetáculo Auto de Santa Rita. Mais simples, este ano o evento se mostrou ser um dos melhores já realizados até hoje. O texto de Gilberto Cardoso Dos Santos é emocionante e toda a execução da peça se deu com tranquilidade e beleza."
"Análise: Simples, Auto de Santa Rita renasce no tom certo"

O educador e blogueiro Erivan Justino publicou a seguinte manchete:

AUTO DE SANTA RITA EMOCIONA PÚBLICO EM PRIMEIRA NOITE: FERNANDA COSTA ENALTECE INCLUSÃO SOCIAL

[...]
"A Prefeitura de Santa Cruz assumiu este ano a responsabilidade pelo espetáculo e através das secretarias municipais de Assistência Social e de Cultura mobilizou vários profissionais que participaram das várias etapas de produção do espetáculo, inclusive da seleção do elenco da apresentação, que conta com a participação de mais de 40 alunos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vinculo (SCFV), bem como, de alunos de escolas públicas da rede municipal e estadual de ensino."


O blog LENTE DO TRAIRI publicou muitas fotos do evento, destacando o belo cenário e figurino da peça:

































O PAPÃO - Guerra Junqueiro


"O papão"

As crianças têm medo à noite, às horas mortas,
do papão que as espera, hediondo, atrás das portas,
para as levar no bolso ou no capuz dum frade.
Não te rias da infância, ó velha humanidade,
que tu também tens medo ao bárbaro papão,
que ruge pela boca enorme do trovão,
que abençoa os punhais sangrentos dos tiranos,
um papão que não faz a barba há seis mil anos,
e que mora, segundo os bonzos têm escrito,
lá em cima, detrás da porta do infinito !


quarta-feira, 21 de maio de 2014

MÃOS DADAS - Sabrina Dorico


Mãos Dadas
Manhã nublada
Na estrada da serra caiada
Numa paisagem cinza e bucólica
Reflete numa pura imagem
O mais singelo companheirismo

Vinham de mãos dadas
Irmandade vislumbrada
Que graça!
Próprios amigos

É...  ficam por aí
Desse jeito
Enquanto isso tudo
Enche meus olhos

Da ligação do Senhor
Com os nossos
Humildade escancarada
Seriamente cúmplices

Pois se trata de irmãos
Caminhada de emoção
E por fim a chuva
Selando a união

Natal-RN 17/05/2014                                                                                                    

    Sabrina Dorico

terça-feira, 20 de maio de 2014

O RAPAZ QUANDO QUISER CASAR - Luiz Soares de Medeiros (Luiz Abdias)

 
Rapaz que quiser casar
tem que prestar atenção
que mulher do mocotó fino desta tipo gavião
que não tem quarto nem seio
alta igual a um pendão
se for zarolha é valente que só o cão.

Mulher pequena demais
quadrada como um baú
se tiver os dentes grandes
é o tipo jaburu.
Este tipo de mulher
mata o marido e depois bebe o sangue cru.

Mulher que desobedece aos pais
que gosta de dançar rodando numa perna só
mostrando os dentes da frente
parecida com um mocó
casando enfeita o marido
da cabeça ao mocotó.

Estas mulheres que namoram
Quatro, cinco na janela
Quando chega numa esquina
Tem dois esperando ela
Triste do pobre homem que se casar com ela
Que com tudo se enterte se esquece da panela.

Mulher dos braços de homem
Das penas tortas parecendo uma bengala
Se tiver o nariz grande
Como o bico de uma arara
É valente,
prende o marido na cozinha e fica gritando na sala.

Rapaz que quiser se casar,
procure uma moça obediente
que obedeça a seus pais,
trabalhe e seja competente
Que para o futuro terá
melhores dias na frente.